Mudanças no IPE

Mudanças no IPE

 Contribuição do servidor para a saúde será alterada? Entenda o que vai mudar no IPE

Na lista de perguntas e respostas, saiba como será a transição

Por: Vanessa Kannenberg e Leandro Rodrigues        17/08/2017

O governador José Ivo Sartori confirmou, nesta terça-feira (15), as mudanças no Instituto de Previdência do Estado (Ipergs). O órgão será dividido em duas autarquias independentes, que vão se chamar IPE Saúde e IPE Prev. 

Com autonomia administrativa e diretorias independentes, as autarquias, por enquanto, serão preenchidas com os atuais servidores, que serão divididos em dois grupos. Quem já trabalha mais focado em algumas das áreas, será deslocado para elas. Passados 180 dias do período de transição, os servidores poderão escolher onde querem atuar.

Leia também:
Separação do IPE depende da aprovação de cinco projetos pela Assembleia
Sindicatos questionam separação do IPE e dizem que não foram consultados

Entenda as mudanças:

O que vai mudar no IPE?
Haverá mudança na estrutura do sistema de previdência e assistência à saúde. Com isso, o IPE se dividirá em duas autarquias. O IPE Saúde será voltado para o sistema de saúde que atende aos servidores. Por sua vez, o IPE Prev ficará com a gestão do sistema de previdência.

Como criar outra autarquia pode melhorar a previdência?
O governo alega que é preciso uma gestão especializada na previdência e outra na saúde. Mesmo parecendo contraditório falar em eficiência criando mais uma autarquia no Estado, a aposta é que a autonomia em cada área trará melhor gestão de recursos e atendimento de usuários.

Quais serão as vantagens na saúde?
Segundo o governo estadual, o sistema de saúde terá a inclusão de novos procedimentos e especialidades médicas. Além disso, haverá novo modelo de remuneração da rede credenciada e novas ações de promoção à saúde. No entanto, o governo ainda não revela detalhes sobre essa mudança, que ainda precisa ser debatida com integrantes da rede de saúde conveniada.

Quais novos procedimentos e especialidades serão oferecidos?
O governo ainda não tem essa resposta. Essas novas ofertas ao usuários começam a ser discutidas a partir da criação do IPE Saúde, e serão oferecidas de forma gradual. A expectativa é de que uma autarquia especializada na saúde terá estrutura para trabalhar esses produtos — procedimentos e especialidades — para atrair mais segurados, especialmente os mais jovens.

Quais serão as vantagens na previdência?
Entre as vantagens apontadas pelo Piratini, está a possibilidade de recuperação do equilíbrio do sistema previdenciário. O novo modelo tratará igualmente os cônjuges e companheiros como dependentes previdenciários. Hoje, se gasta R$ 13 bilhões por ano com aposentadorias e pensões, mas se arrecada R$ 4,7 bilhões. Essa diferença tem sido paga pelo Tesouro do Estado.

O que muda na vida das atuais pensionistas?
Para as atuais, nada muda. Quem já recebe tem o chamado direito adquirido. Também não haverá aumento na alíquota previdenciária (hoje em 14% sobre a remuneração/subsídio dos servidores ativos, proventos dos inativos e benefício de pensão por morte).

Quais as regras para as pensões com o novo modelo?
— A pensão será direito tanto do cônjuge masculino quanto do feminino.

— O tempo a ser comprovado de união estável passa de cinco para dois anos, com período mínimo de contribuição de 18 meses (pode ser somado tempo de outro regime previdenciário).
— A pensão será vitalícia apenas para dependentes a partir de 44 anos de idade. Para os demais, a duração máxima da pensão varia de três a 20 anos. Veja a tabela abaixo:

Idade do dependente na data do óbito - Duração máxima do benefício:
Menos de 21 anos - 3 anos
Entre 21 e 26 anos - 6 anos
Entre 27 e 29 anos - 10 anos
Entre 30 e 40 anos - 15 anos
Entre 41 e 43 anos - 20 anos
A partir de 44 anos - Vitalício

Haverá mais despesas com as duas autarquias?
O Piratini garante que as mudanças não aumentarão os desembolsos do Estado. Afirma, ainda, que não será preciso contratar mais servidores. A promessa é usar a estrutura que já está dentro do IPE, as pessoas que já trabalham lá serão cedidas.

A contribuição do plano de saúde será alterada?
O Piratini afirma que não haverá alteração. Para o plano básico, a contribuição está definida em 3,1% da remuneração do servidor.

O que vai mudar para a rede credenciada?
A promessa do Piratini é que as mudanças irão fortalecer a parceria com hospitais, clínicas e médicos com um novo modelo de remuneração, mais vantajoso. O IPE Saúde pretende trabalhar como o Sistema Único de Saúde (SUS), remunerando os parceiros por procedimento (cirurgia, por exemplo). Hoje, o IPE paga R$ 47 paga por consulta médica.

Como remunerar melhor hospitais, clínicas e médicos sem aumentar contribuição ou tirar do Tesouro?
A alternativa será, diz o Piratini, oferecer planos que atraiam outras fatias de segurados, aumentando a receita sem precisar subir a alíquota ou tirar dinheiro dos cofres do RS. Ainda não há lista definida de novos produtos.

 

Translate this Page
ONLINE
14