No governo Getúlio Vargas

No governo Getúlio Vargas

O GOVERNO GETÚLIO VARGAS E O LADO FUNESTO E NAZISTA DOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NO CEARÁ NA SECA DE 32 E A TESE DA EUGENIA QUE TRATA DAS RAÇAS SUPERIORES...

ESSA FERIDA INTERNA NA ALMA DO BRASIL TEM QUE SER TRAZIDA À LUZ DO DIA...

Getúlio e seu discurso defendendo a eugenia

Do livro: A Nova Política do Brasil O Ano de 1932 - Fls. 46

Acervo - Valdecy Alves

Foto fls. 8 do Livro Getúlio Vargas
A Nova Política do Brasil       O Ano de 1932 


A TESE DO DARWINISMO SOCIAL CHEGOU AO BRASIL - NASCIDA NA EUROPA POR VOLTA DE 1870 - ELA TENTA EXPLICAR QUE OS POBRES E MISERÁVEIS SÃO ASSIM - POR SER MAIS INAPTOS E POR ISSO MESMO FRACASSADOS - AO QUE SE APLICAVA AOS EXCLUÍDOS DA INGLATERRA PELA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL SE APLICARIA AOS MESTIÇOS BRASILEIROS:
 Os pobres da Revolução Industrial eram pobres, miseráveis e estavam na periferia, morrendo mais cedo e quase escravos, porque eram mais inaptos.A Natureza, punindo os mais fracos. E pela seleção natural, esse era seu destino. Miséria, fome, doença, ignorância e morte. Os operários ingleses da /revolução Industrial foram os flagelados da Europa.

A miséria.

Uma imposição na natureza, da qual não poderiam escapar. COMO UM DESTINO. COMO UMA CONDENAÇÃO QUE NÃO PODERIA SER ALTERADA. O chamado Darwinismo Social, defendido por grandes intelectuais como  o francês Arthur Gobineau e e Louis Agassiz... defendiam que a mistura de raças levava à degeneração da espécie. Os brasileiros, como um dos povos mais miscigenados do mundo, eram vistos como uma das raças mais degeneradas. A partir deste raciocínio, o Brasil passou a ser visto como um país sem futuro, sem ter como  se integrar à comunidade internacional. A MISCIGENAÇÃO - O FATO DO BRASILEIRO SER DESCENDENTE DE ÍNDIOS - NEGROS E BRANCOS - PASSA A SER A CULPADO POR TODA MISÉRIA DO BRASIL E POR NÃO SE VER FUTURO PARA O BRASIL COMO FUTURA NAÇÃO CIVILIZADA. O Passo seguinte foi o nascimento da tese da eugenia. Criada por Francis Galton, sendo recebida e sendo integrada ao Estado Novo, após o golpe dado por Getúlio Vargas. Os brasileiros queriam ser como os europeus...

MAS A PRIMEIRA GRANDE GUERRA E TODA CARNIFICINA NA EUROPA COLOCOU EM XEQUE SE REALMENTE A EUROPA TÃO SANGUINÁRIA ERA ASSIM TÃO SUPERIOR E CIVILIZADA...

A EUGENIA É A TESE QUE DEFENDE O APERFEIÇOAMENTO ARTIFICIAL DA RAÇA - A PARTE MAIS RADICAL DOS SEGUIDORES DA EUGENIA NO BRASIL DEFENDIA ABORTO DOS INAPTOS - O CONTROLE DE CASAMENTO - O CONTROLE DA IMIGRAÇÃO PARA O BRASIL CONFORME AS RAÇAS:  O grande escritor Monteiro Lobato era adepto da eugenia e tantos outros intelectuais. Euclides da Cunha, nas notas preliminares do seu livro " Os Sertões" - um os maiores clássicos da literatura brasileira, afirma o seguinte sobre os mestiços nordestinos

[...] Intentamos esboçar, palidamente embora, ante o olhar de futuros historiadores, os traços atuais mais expressivos das sub-raças sertanejas do Brasil. E fazemo-lo porque a sua instabilidade de complexos de fatores múltiplos e diversamente combinados, aliada às vicissitudes históricas e deplorável situação mental em que jazem, as tomam talvez efêmeras, destinadas a próximo desaparecimento ante as exigências crescentes da civilização e a concorrência material intensiva das correntes migratórias que começam a invadir profundamente a nossa terra. 

O jagunço destemeroso, o tabaréu ingênuo e o caipira simplório serão em breve tipos relegados às tradições evanescentes, ou extintas. Primeiros efeitos de variados cruzamentos, destinavam-se talvez à formação dos princípios imediatos de uma grande raça. Faltou-lhes, porém, uma situação de parada, o equilíbrio, que Ihes não permite mais a velocidade adquirida pela marcha dos povos neste século. Retardatários hoje, amanhã se extinguirão de todo. 

Capa do Livro - Acervo: Valdecy Alves

  A civilização avançará nos sertões impelida por essa implacável "força motriz da História" que Gumplowicz, maior do que Hobbes, lobrigou, num lance genial, no esmagamento inevitável das raças fracas pelas raças fortes.  [...]

Portanto, esse pensamento reinante no Brasil, no seio da elite intelectual e econômica brasileira, bem documentado por Euclides da Cunha, ao publicar seu livro Os Sertões em 1902, tratando da Guerra de Canudos, envolvendo os nordestinos da cidade de Canudos, fundada pelo cearense Antonio Conselheiro e o exército brasileiro, derrotado em várias expedições, ocorrida entre 1896 e 1897.  O paradoxo, o exército teve sua credibilidade questionado quanto foi derrotados em várias expedições por seres tão inferiores... assim como Hitler foi derrotado por Jesse Owens na Olimpíada de Berlim... atleta negro que ganhou várias medalhas de ouro no atletismo. Deixando os arianos para trás...

A Guerra de Canudos foi um dos grandes fatos ocorridos na primeira fase da República nascente. Que sem dúvida, começou errando. Mantendo a mesma cultura social existente ao longo do Império quanto aos pobres mestiços inferiores. A mesma República que embasada nessa tese, deu início à política do branqueamento no Brasil, com tratados internacionais que importaram imigrantes da Europa, que se livrava do excesso de população exportando seu povo para um Brasil governado por políticos que viam na chegada dos imigrantes, a possibilidade deles geneticamente se misturarem aos mestiços brasileiros, branqueando o povo brasileiro. Merecem destaque, na abertura de Os Sertões, as seguintes frases de Euclides da Cunha: 

1) Deplorável situação mental;

2) Em breve tipos relegados... que serão extintos,,,

3) Destinavam-se à formação de uma grande raça...

4) Retardatários hoje, amanhã se extinguirão de todo...]

5) Esmagamento inevitável das raças fracas pelas raças fortes...

Getúlio e seu discurso em Fortaleza  falando sobre os campos de concentração no Ceará da Seca de 32
Usando as palavras: CAMPO DE CONCENTRAÇÃO
Do livro: A Nova Política do Brasil O Ano de 1932 - Fls. 169
Acervo - Valdecy Alves

OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO E A TESE DA EUGENIA COMO EMBASAMENTO DE TODA DISCRIMINAÇÃO DURANTE A POLÍTICA DA INDÚSTRIA  DA SECA QUE CONTINUA: Não era apenas a elite cultural, econômica e política  do Rio de Janeiro... de São Paulo, que discriminava, como raça inferior, os nordestinos mais pobres. Que se diga, até hoje em São Paulo, onde o movimento da eugenia foi mais forte no Brasil, nordestino é tratado como ser inferior e até apanha, se for identificado nas ruas pelos famosos carecas do ABC. Mas os nordestinos em melhor situação financeira... o cearense com certa cultura... sempre discriminou o mais miserável durante as secas, assim qualificando as vítimas da miséria e da exclusão:

1) Flagelados;

2) Molambudos;

3) Lascados;

4) Matutos;

5) retirantes;

6) Cassacos e 

7) Etc.


CONCLUSÃO: Diferentemente dos campos de concentração nazistas, que levou ao extremo a tese da eugenia, com eliminação de judeus, gays, ciganos, negros, prisioneiros de guerra... os campos de concentração das secas do Ceará foram criados para segregar os cassacos... os flagelados... os miseráveis da seca... vistos numa escala um pouco acima dos animais.... mas abaixo do que seria um verdadeiro ser humano. O mais radical dos defensores da eugenia, Renato Kehl chegou a elogiar os métodos nazistas nos anos 30. Chegou a defender esterilização dos incapazes, aborto dos filhos dos inaptos, controle dos casamentos entre raças. Ele representava um movimento que conseguiu incluir na Constituição de 1934, precisamente em seu arrigo 138, que o Governo Federal, o Governo Estadual e os prefeitos municipais, deveriam cultivar a cultura da eugenia:  Artigo 138. Incumbe á União, aos Estados e aos Municípios, nos termos das leis respectivas: b) estimular a educação eugênica;  

Assim, a tese de que os mestiços são uma raça inferior, que os nordestinos por serem mestiços são um sub raça condenada a desaparecer da face da terra, justifica o tratamento desumano, o descaso, negar direito à saúde, direito e ir e vir, serem segregados como animais nas 03 grandes secas com os seguintes campos de concentração:

SECA DE 1877/1879: Campo de Concentração do Alagadiço, em Fortaleza -  Ceará;

SECA DE 1915: Campo de Concentração do Alagadiço e do Matadouro, Fortaleza - Ceará;

SECA DE 1932: Campo de Concentração do Urubu e do Otávio Bonfim - Fortaleza - Ceará;

SECA DE 1932: Campos de Concentração de Quixeramobim, Senador Pompeu(Patu), Cariús e Crato (Buriti);

SECA DE 1932: Campo de Concentração do Ipu - único da zona Norte do Ceará.

A IGREJA POPULAR SANTIFICOU AS ALMAS DA BARRAGEM: No Campo de Concentração do Patu, em Senador Pompeu, em 1932, foram tantos os mortos, por epidemias, ignorados pelo Poder Público, pela igreja da época, que enterrados aos milhares em valas, em cemitério clandestino, no meio da caatinga, pela martirização, foram santificados pelo povo, a exemplo de Antonio Conselheiro, Beato Lourenço e tantos outros que sofreram imensa injustiça. Hoje o local recebe romeiros pagando promessas o ano inteiro e todo segundo domingo de novembro, ocorre a Caminhada da Seca, em homenagem às vítimas do Campo de Concentração:



GADO... CARNIÇA... URUBU... MATADOURO... CURRAL DA FOME: Observem-se alguns nomes dos campos de concentração ligados a matadouro,  logo a gado. Urubu, carniça. Tais campos conhecidos popularmente como currais da fome. Nascidos a exemplo dos campos de concentração nazistas, da marginalização, da pobreza, que gerou a segregação e o descaso. Total abandono pelo poder público, pois no caso do Ceará, a maior parte dos recursos e alimentos que chegaram foram desviados pela corrupção. Além dos flagelados serem explorados em trabalhos forçados, em troca de comida. Trabalho escravo, sobretudo para construção de estradas, açudes, barragens, ferrovias, calçamentos de ruas, etc. No discurso acima, o Presidente Getúlio Vargas chega a citar mais de 1 milhão de flagelados que passaram pelos campos de concentração, que existiram em outros estados do Nordeste com outros nomes.  Sem computar os que morreram pelas estradas... secando ao sol... como o gado... devorados pelos urubus... como se chamavam alguns dos locais...

Vejam documentário comparando o Campo de Concentração de Auschwitz na Polônia com os campos de concentração das secas do Ceará, todos filhos da eugenia e da intolerância nascida da tese de raças superiores e raças inferiores de seres humanos, na verdade discursos políticos de dominação através da aniquilação do outro:



CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NO CEARÁ - AUSCHWITZ...por valdecy-alves

NA VERDADE OS NORDESTINOS MESTIÇOS FORAM OS MESTIÇOS MAIS DESTRATADOS E ABANDONADOS PELO BRASIL... BASTA DIZER O QUE FIZERAM A CANUDOS E A CALDEIRÃO DE SANTA CRUZ DO DESERTO... Desde outrora... mas o Poder Público assumiu oficialmente uma doutrina racista por trás de omissão ou ação na Era Vargas, quando os campos foram aperfeiçoados. Experiência que só parou com a descoberta dos campos de concentração que mataram judeus... QUE MOSTROU ATÉ ONDE A TESE DA EUGENIA FOI. DESMORALIZANDO ATÉ MESMO A SUPOSTA SUPERIORIDADE DA CIVILIZAÇÃO EXEMPLAR EUROPEIA DEFENDIDA PELOS ADEPTOS DA EUGENIA.  Os mestiços nordestinos somente tendo status de quase humanos... e assim... segregados... deixados ao acaso... e à morte... o que na verdade... resultou numa espécie de extermínio, que continua... operado pela natureza... auxiliada pelo descaso dos que são e estão no poder...  num extermínio pouco às claras... n apenumbra... nunca tiveram, nem têm a coragem de realizar um extermínio visível foi o cruel extermínio nazista.... E O NAZISMO... O EXTERMÍNIO CONTINUAM... POIS A CULTURA VIGENTE... POUCO MUDOU! MAS A NATUREZA É INOCENTE... INOCENTÍSSIMA... SOBRE ISSO NÃO HÁ DÚVIDAS!

Translate this Page

Rating: 1.9/5 (45 votos)




ONLINE
6