Papel da Educação

Papel da Educação

Qual o papel da educação pública na formação da classe operária no Brasil

Derick Casagrande Santiago 02 Ago 2017 (atualizado 02/Ago 18h21)

Qual pergunta a pesquisa responde?

Por que isso é relevante?

Resumo da pesquisa Quais foram as conclusões?

Quem deveria conhecer seus resultados?

Referências

Tese: Disciplina escolar e disciplina fabril - Educação e formação da classe operária nacional nos anos 1930 e 1940

AUTOR Derick Casagrande Santiago Lattes

ORIENTADORA Lúcia Emília Nuevo Barreto Bruno

ÁREA E SUB-ÁREA Educação, Estado, sociedade e educação

DEFENDIDA EM Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP), Departamento de Administração Escolar e Economia da Educação (EDA) - 28/09/2015

LINK PARA O ORIGINAL  

Esta pesquisa busca entender de que forma se articularam as políticas públicas educacionais com o projeto de modernização do Brasil e desenvolvimento do capitalismo nacional. Assim, tendo como foco o período que vai de 1930 a 1945, sob o governo de Getúlio Vargas, o estudo de Derick Casagrande Santiago tenta revelar o sentido que se pretendia imprimir à formação das novas gerações de trabalhadores.

Entre as conclusões, o autor destaca que, no período analisado, foram priorizados os níveis secundário e superior, destinados à elite dirigente, em detrimento do primário e técnico-profissional para as classes populares.

Qual pergunta a pesquisa responde?

O trabalho teve como norte a seguinte questão: “Qual o estatuto atribuído à educação escolar na formação da classe operária nacional durante o governo Vargas (1930-1945)?”. Assim, a pesquisa tem como objetivo examinar a importância conferida ao papel da escola para a formação do trabalhador brasileiro frente à modernização da sociedade.

Por que isso é relevante?

Amplamente entendida como um processo de socialização, a educação é exercida de forma difusa. Dentre as instituições e os conjuntos de relações que configuram sua prática, o modelo escolar estruturado e adotado na modernidade e presente na contemporaneidade firmou-se como o espaço específico destinado à formação sistematizada. Partindo dessa consideração, debruçar-se sobre a educação escolar, além de evidenciar, de forma geral, a dimensão por ela ocupada na sociedade capitalista, revela o sentido que se pretendia imprimir à formação das novas gerações, especificamente, na realidade brasileira durante as décadas de 1930 e 1940. Trata-se ainda de refletir acerca da articulação e execução das políticas públicas educacionais no projeto de modernização do país, sublinhando a relação existente entre a esfera política e educacional e suas implicações na organização do ensino.

Resumo da pesquisa

O estudo propõe-se a refletir acerca da educação brasileira nas décadas de 1930 e 1940. Debruça-se, especificamente, no ensino escolar quanto à formação da classe operária nacional durante o governo Vargas (1930-1945). O tema adquiria relevância pela preocupação com o sentido que se pretendia imprimir à formação da nova geração frente ao processo de modernização e de desenvolvimento do capitalismo nacional. A análise considera, nesse sentido, as mudanças políticas, econômicas e sociais que suscitaram a elaboração de propostas para a educação escolar e implicaram na definição de sua diretriz, organização e dinâmica. Destaca-se o papel exercido pelo Estado, a partir de seu caráter centralizador e intervencionista, como agente capaz de promover o projeto aspirado, estruturando o ensino considerado adequado àquela realidade em conformação. Além da organização da educação nacional, ressalta-se que, por um lado, exigia-se a formação de uma classe trabalhadora apta à produção sob a lógica racional do trabalho; por outro, pensava-se a formação de uma classe dirigente capaz de conduzir e coordenar as ações econômicas e também ocupar altos cargos hierárquicos na burocracia privada e estatal.

Quais foram as conclusões?

Com o Ministério da Educação e Saúde Pública outros contornos se estabeleceram para a questão educacional. Dotando-a de estatuto de política de Estado, a intenção era a organização nacional do ensino, tornando homogêneo seu conteúdo e uniforme seu controle e sua fiscalização, para que a formação atendesse às exigências da ordem social emergente. Com a pretensão de abranger todos os níveis escolares, as reformas educacionais ocorreram de forma fragmentada e reafirmaram a dualidade do ensino. Foram priorizados os níveis secundário e superior, destinados à elite dirigente, em detrimento do primário e técnico-profissional para as classes populares. A política educacional brasileira foi difusa por ser composta por diferentes perspectivas, em certos aspectos até conflitantes, relacionadas às ideias dos grupos envolvidos com o ensino. Além de disseminar conhecimentos e aprimorar habilidades específicas, a tônica da formação escolar era nacionalista, o que se verificou nos conteúdos, valores e práticas patrióticas nas escolas dos diferentes níveis até os conhecimentos científicos ensinados e objetivos políticos perseguidos pelas instituições de ensino superior.

Quem deveria conhecer seus resultados?

Os resultados da pesquisa podem interessar ao público em geral e aos pesquisadores da área da educação, especificamente aqueles que se debruçam sobre a história da educação brasileira e sobre a relação entre Estado, sociedade e educação.

Derick Casagrande Santiago é mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP), possui bacharelado em Sociologia e Política e especialização em Globalização e Cultura pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

Atualmente é docente da FESPSP e membro do grupo de pesquisa Poder Político, Educação, Lutas Sociais (GPEL/FE-USP).

Referências

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A escola e a república. São Paulo Brasiliense 1989.

HILSDORF, Maria Lúcia Spedo. História da educação brasileira: leituras. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

HORTA, Jose Silvério Baia. O hino, o sermão e a ordem do dia; regime autoritário e a educação no Brasil (1930-1945). Rio de Janeiro: UFRJ, 1994.


Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/academico/2017/08/02/Qual-o-papel-da-educa%C3%A7%C3%A3o-p%C3%BAblica-na-forma%C3%A7%C3%A3o-da-classe-oper%C3%A1ria-no-Brasil?utm_campaign=a_nexo_201783&utm_medium=email&utm_source=RD+Station





ONLINE
4