Registro de BO

Registro de BO

Parcelamento de salários leva mais servidores à polícia para registrar ocorrência contra governo do RS

Funcionários públicos reclamam de dificuldades para contas básicas e prejuízos com o pagamento de juros do cheque especial e cartão de crédito.

Servidores denunciam Sartori por crime de responsabilidade administrativa

Servidores denunciam Sartori por crime de responsabilidade administrativa

Com apenas uma parcela de R$ 350 do salário de agosto depositada na conta, servidores públicos seguem indo à polícia para registrar boletins de ocorrência contra o governador do Rio Grande do sul, José Ivo Sartori, a exemplo do grupo de 20 professores da cidade de Passo Fundo, que tomou essa iniciativa na semana passada. Conforme o sindicato dos professores, centenas de profissionais já fizeram a denúncia por crime de responsabilidade administrativa.

O funcionário público Chester Guimarães relata que teve de escolher que contas poderiam ser pagas com os R$ 350 que recebeu. "Temos aluguel, tem que fazer rancho, pagar água e luz", enumera.

Entre as dificuldades do governo gaúcho para pagar o salário dos servidores, o parcelamento recente foi o mais duro. "Tu não sabe nem se vai ter amanhã mais R$ 100, R$ 200", reclama a professora Marina Vargas.

Os boletins de ocorrência têm sido registrados por professores de todo o estado.

Boletim de ocorrência registrado por funcionário público que teve salário parcelado (Foto: Reprodução/RBS TV)

Boletim de ocorrência registrado por funcionário público que teve salário parcelado (Foto: Reprodução/RBS TV)

A queixa destaca que o governo não cumpre uma liminar obtida no ano passado, que determina que os pagamentos sejam efetuados em dia.

O professor de História Jardel Cunha está entre os que registraram ocorrência. Ele reclama das contas atrasadas e do pagamento de juros do cheque especial e cartão de crédito.




ONLINE
12