Pobreza e desigualdade no campo

Pobreza e desigualdade no campo

Pobreza e desigualdade no campo são temas de Conferência em Roma

Katia Maia, diretora executiva da Oxfam Brasil, participará do evento, que terá transmissão ao vivo

Foto: Cícero R. C. Omena/Creative Commons

O mundo tem hoje mais de 800 milhões de pessoas vivendo na extrema pobreza, e a maior parte está nas áreas rurais do planeta. Quais as estratégias e programas necessários (e já existentes) que possam dar um fim à pobreza no campo e ajudar a cumprir o compromisso estabelecido pela Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, de 'não deixar ninguém para trás'?

É o que representantes de governos, empresas, sociedade civil e universidades estarão discutindo esta semana na Conferência sobre Desigualdades Rurais (2 e 3 de maio, em Roma, Itália), organizada pelo Escritório Independente de Avaliação do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (IFAD, na sigla em inglês).

Katia Maia, diretora da Oxfam Brasil, participará do evento, no painel "Indo além dos direitos para reduzir as desigualdades", no segundo dia de atividades.

"A concentração de terras e também do financiamento e outros recursos agrícolas mantêm os benefícios e valores gerados nas mãos de poucos. A desigualdade é um assunto multidimensional que segura as pessoas na pobreza e compromete o desenvolvimento", afirma Katia Maia.

A Conferência de dois dias em Roma está dividida em quatro temas:

  • Recursos: quais recursos precisam ser redistribuídos, em qual extensão e como?

  • Resiliência: como o risco pode ser redistribuído para eliminar a punição dupla sobre os mais vulneráveis?

  • Relações: como as relações podem ser rebalanceadas para que aqueles 'deixados para trás' possam ser contados, reconhecidos e ter voz?

  • Direitos: como políticas, leis e direitos servem para remediar e como meios para a institucionalizar a igualdade?

Algumas sessões terão transmissão ao vivo - para assistir, clique aqui.

Leia nosso relatório Terrenos da Desigualdade: Terra, Agricultura e Desigualdade no Brasil Rural

https://www.oxfam.org.br/noticias/pobreza-e-desigualdade-no-campo-sao-temas-de-conferencia-em-roma 

 

Terrenos da desigualdade: Terra, agricultura e desigualdade no Brasil rural

PDF iconrelatorio-terrenos_desigualdade-brasil.pdf

Movimento "Grito dos excluídos" em romaria no interior do estado de São Paulo. (Foto: Tuca Vieira)

A desigualdade extrema tem múltiplas origens e traz sérias consequências negativas para a garantia de direitos e o desenvolvimento sustentável. Entre suas causas estruturais está a concentração da terra, um fator de preocupação na América Latina e, em especial, no Brasil. A concentração da terra está ligada ao êxodo rural, à captura de recursos naturais e bens comuns, à degradação do meio ambiente e à formação de uma poderosa elite associada a um modelo agrícola baseado no latifúndio de monocultivo, voltado à produção de commodities para exportação e não para a produção de alimentos. É preciso reconhecer que a desigualdade é um grave e urgente problema no Brasil e que sua solução passa por transformações em suas causas estruturais.




ONLINE
10