A Culpa é do Mordomo

A Culpa é do Mordomo

Museu Nacional: A Culpa é do Mordomo

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Não respeitaram nem o luto do povo. Em menos de um dia após transformarem em cinzas séculos de história e um Museu de 200 anos, se iniciou a campanha que dá vida a tese de Naomi Klein, autora de A Doutrina do Choque: a Ascensão do Capitalismo de Desastre. Grande Mídia, candidatos de direita, Ministros do governo – aguardem, logo, logo entrará a “justiça” – dizendo que a culpa do incêndio do Museu Nacional, da UFRJ é da vítima, a própria UFRJ, na pessoa de seu reitor, o Professor Roberto Leher.

As acusações são plurais. O objetivo é singular

O BNDES disponibilizou 52 milhões à UFRJ para investimento no museu nacional, em 2018. A folha da UFRJ consome 90% com salário de servidores. Que a Universidade tem autonomia administrativa e financeira. Que havia verba e que o problema é de gestão. Tudo fake news! A verdade: o contrato do BNDES é de R$21 milhões da Lei Rouanet e teria sua primeira parcela de R$3 milhões, somente em outubro. A verdade: a folha de pagamento de pessoal das universidades nem passa pela universidade, são centralizadas e geridas diretamente pelo Ministério do Planejamento. A verdade: a famosa autonomia, garantida inclusive pelo artigo 207 da Constituição Federal, virou lenda urbana. Os reitores vivem de pires na mão em Brasília. Os institutos e pesquisadores mendigando emendas parlamentares. Quem dedica sua vida ao serviço público sabe que uma nota técnica do Planejamento vale mais que a Constituição Federal. 

As Universidades sobrevivem, tentando manter a qualidade

A situação das universidades é de crise. A maior parte dos prédios não tem PPCI – Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio, não tem manutenção, precisam de reformas. O número de alunos foi ampliado sem a respectiva ampliação dos espaços físicos. Foram realizados concursos, é fato, mas ainda insuficientes. As verbas foram cortadas drasticamente. A Emenda Constitucional 95, congelou os investimentos nos serviços públicos por 20 anos! E não me venham com discursos manipulatórios afirmando que os gastos com ensino superior é muito maior do que com o ensino básico. Primeiro lembremos que o Brasil é um dos países que menos investe em educação, na realidade falta verba para o sistema educacional como um todo. E, é claro que na universidade se investe muito mais. Porque nas universidades se faz pesquisa e onde se formam os professores da escola básica.

O Brasil está entre as 10 maiores economias do mundo e não é por acaso, se deve a uma dívida com a universidade brasileira. A Petrobras é o que é devido à pesquisa dos engenheiros da Petrobras e fundamentalmente da pesquisa feita dentro das universidades. A Embraer, entregue por Temer a Boeing e com a anuência das Forças Armadas, é a maior empresa de aeronaves de médio porte do mundo e detentora de tecnologia de ponta em jatos. O Agro só é Pop e é Tec graças às universidades e a Embrapa. No Piauí, a pesquisadora Niède Guidon, desenvolve uma das investigações mais instigantes para a história de nosso planeta e de interesse internacional, sobre a povoação de nosso continente. Bem, poderia gastar milhares de folhas provando a importância da pesquisa universitária para o desenvolvimento do país, mas o importante é saber que a pesquisa desenvolvida nas universidades precisa de muita verba, mas que sai muito barata para os resultados que tem dado ao Brasil.

Tirem suas mãos sujas de cinza das Universidades! 

No Brasil foi cometido um crime. Um crime anunciado. Feito a muitas mãos, com assassinos e cúmplices.

Mas, temos provas, apesar de que vivemos em um país que não precisa de provas para se desvendar crimes.

A primeira delas são os consecutivos cortes orçamentários. Em 2016 a UFRJ recebeu de verba de custeio e investimentos (manutenção, equipamentos e novas obras) R$461 milhões e em 2018 caiu para R$282 milhões. Devido aos cortes a previsão da UFRJ, é de que fechará este ano com um déficit de R$160 milhões.

Veja o artigo do Reitor Roberto Leher, no jornal do Brasil em 15 de agosto passadoHTTPS://bit.ly/2ojie1V 

Mas não foi somente Temer e seus aliados no Congresso Nacional a participar deste crime. Todos os dias a grande mídia, a grande parte dos juízes e os arautos do mercado martelam a cabeça de milhões de brasileiros: Austeridade, Privatiza, O Estado está inchado, Parceria Público Privado, Organizações Sociais. Portanto, neoliberalismo na veia! A mesma receita que acaba de quebrar a Argentina. Estes são os mesmos que agora questionam onde está o investimento em nossa cultura, em nossos museus, e bradam: que perda trágica. Cinismo puro! Estes são os criminosos.

A direita saiu do armário

Mas o objetivo é claro, privatizar tudo que é público. Os banqueiros se reuniram com Temer e exigiram: para ajudar querem a cabeça do reitor, mal sabem eles que o reitor foi eleito pela comunidade da UFRJ e não indicado pelo Temer. Além disso, querem entregar a gestão para uma OS-organização social, não governamental. Na mesma linha Alckmin apresenta proposta de cobrar mensalidades nas universidades, começando pela pós-graduação. Por outro lado o Conselho da CAPES, anunciou que se mantiver os cortes no orçamento do próximo ano, a consequência será de suspensão de 200 mil bolsas de pesquisa! O que mais precisa acontecer para nos rebelarmos?

Berna Menezes - Executiva Nacional do PSOL

https://www.facebook.com/BernaMenezesPSOL/photos/a.1434802963430257/2225611884349357/?type=3&theater 




ONLINE
13