Carta Terra e Território

Carta Terra e Território

Movimentos do campo lançam plataforma conjunta

A Carta Terra e Território foi divulgada neste sábado em evento com a participação de lideranças políticas, como Fernando Haddad e Guilherme Boulos, e contém denúncias aos retrocessos do atual governo na questão e sete compromissos unitários.

Foto: José Eduardo Bernardes/Brasil de Fato

A Carta Terra e Território, produto de Seminário realizado entre os dias 6 e 8 de junho na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), foi divulgada neste sábado (8) e apresentou denúncias sobre os retrocessos impostos pelo atual governo na questão do campo e sete compromissos unitários das 50 organizações participantes.

documento, elaborado por “movimentos populares e sindicais do campo, águas e florestas, trabalhadores e trabalhadoras rurais, pesquisadores e pesquisadoras, organizações não governamentais, ambientalistas, representantes de governos progressistas, lideranças partidárias e parlamentares”, foi divulgado em ato que contou com diversas lideranças do campo progressista. Entre eles, o ex-ministro da Educação Fernando Haddad e o coordenador do MTST Guilherme Boulos.

Ao Brasil de Fato, José Damasceno, da coordenação do MST, considerou a carta uma vitória. “Uma plataforma de ação, de debate, de luta que caminha para a construção de um grande projeto de como deve ser o campo brasileiro”, avaliou.

Haddad destacou a importância da unidade progressista na luta pela democratização do acesso à terra. “Jair Bolsonaro, mesmo muito antes da eleição, não tem nenhum compromisso com a agenda de desenvolvimento sustentável. Nós temos uma agenda para levar à frente a questão fundiária no Brasil e sabemos como traduzir essas aspirações em ações práticas para levar bem-estar para o povo mais sofrido”, disse.

Boulos destacou a necessidade de outro modelo: “que coloque a vida acima do lucro, que não vá repetir tragédias como a de Mariana e de Brumadinho, que não dê todo poder ao agronegócio para envenenar nossa comida e nossos rios”. “É preciso discutir um modelo em que não seja a sociedade que sirva à economia e ao lucro de meia dúzia de pessoas, mas sim a economia que sirva à sociedade”, completou.

Segundo o deputado federal Nilto Tatto (PT-SP), o documento será entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, na próxima terça-feira (11).

O ex-presidente Lula enviou ontem (7) uma carta aos participantes ressaltando a importância da unidade dos povos do campo.

 

https://www.revistaforum.com.br/movimentos-do-campo-lancam-plataforma-conjunta/?fbclid=IwAR2bj12qVRPP6WO73hlCZT6H-NVQC3ggZF2meKgCfn-9zo8NQnwtMzt6Hvo 




ONLINE
8