Dai a Cezar o que é de Cezar

Dai a Cezar o que é de Cezar

DAI A CESAR O QUE É DE CESAR”- CPERS e LEITE

 

Não há dúvidas que a campanha salarial para Professores/as, funcionários/as de escola, aposentados/as concursados/as e/ou contratados/as da rede pública estadual é necessária e urgente. O sofrimento, o endividamento e o adoecimento da categoria decorrem da política opressora na falta de condições de trabalho e no amargor de sete anos sem reajuste, dentre outros. Nunca é demais reforçar que carreira, valorização salarial e formação são pressupostos para uma educação de qualidade socialmente referenciada.

Mas quem é o culpado? E por que o Governo Leite(PSDB) não é nominado e denunciado com a força que merece?

Ontem, domingo, dia 18 de julho, iniciou a campanha publicitária do CPERS pela reposição salarial da categoria: professores/as e funcionários/as de escola, da ativa e aposentados/as. O vídeo veiculado durante o Fantástico em horário nobre da RBS, certamente teve um custo financeiro substancial e não identifica a origem do problema. Não aponta para o algoz da educação gaúcha: Eduardo Leite. Ao final de todos os meses, vemos colegas sendo obrigados a financiar o próprio salário. Não veicular o nome do governador para denunciá-lo à sociedade e desgastá-lo é inadmissível.

São responsáveis pela miserabilidade da categoria: Eduardo Leite(PSDB) e sua base aliada na Assembleia Legislativa. Há muitos motivos para denunciar:

LEITE deu continuidade à política de Sartori(MDB), sendo que a inflação acumulada entre novembro de 2014 e junho de 2021 soma o montante de 45,05% e para a categoria reajuste zero;

LEITE somou com Sartori, mais de 60 meses de salários atrasados e parcelados para a maior parte dos servidores/as, dentre os quais os/as da educação;

LEITE e sua base na ALERGS promoveu um verdadeiro saque aos/as aposentados/as com a Reforma Previdenciária em 2019. Governo LEITE passou a arrecadar mais à custa da retirada de direitos dos/as educadores/as;

LEITE aprovou a retirada de direitos para professores/as e funcionários/as, como o fim do plano de carreira do magistério, diminuição do difícil acesso(Adicional de local de Exercício), eliminação de vantagens e redução de adicionais;

LEITE puniu ainda mais aqueles/as que fizeram a greve de 2020, movimento justíssimo e legítimo, com os descontos, mesmo tendo recuperado aulas e ano letivo;

LEITE desconta o vale transporte e não ressarce educadores/as de gastos pessoais com equipamentos, internet e energia elétrica no ensino remoto em face da pandemia;

LEITE fecha turmas, turnos e escolas, numa ofensiva especialmente contra a EJA e educação do campo;

LEITE segue na redução de recursos humanos. De 2015 a 2021 diminuiu mais de vinte e cinco mil educadores/as;

LEITE demitiu educadores/as contratados/as em licença saúde;

LEITE aplica um projeto educacional que destrói a educação pública e atende às diretrizes privatistas da educação, aos ditames do Banco Mundial e fundações de interesse privado, a exemplo da Lemann;

LEITE segue a cartilha privatista de estatais e do serviço público, a exemplo da CEEE-D, bem como obteve aprovação para privatizar Corsan, Banrisul e Procergs sem plebiscito;

E o retorno às aulas presenciais, sem imunização, testagem em massa, garantia de protocolos de segurança,...?

Motivos não nos faltam para dar nome ao governo autoritário com caricatura de diálogo e executor da política a serviço do mercado. A pergunta que não quer calar: Omitir o nome de Eduardo Leite, amaciando a malvadeza deste governo contribui para desgastar e derrotar esta política opressora em curso? Nesta linha vamos reverter o ciclo de perdas da categoria?

Seguimos defendendo o necessário e real enfrentamento ao governo para interromper o ciclo de perdas da categoria e destruição do estado. É imperativo que a campanha publicitária identifique e denuncie o Governo Leite. A reposição salarial de 45,05% é direito da categoria e sem um calendário de luta e ofensividade do CPERS em relação ao governo, dificilmente virá.

Sem titubear, “Dai a Cesar o que é de Cesar”: REPOSIÇÃO JÁ! FORA LEITE!

Candida Rossetto – 1/1000 – 40º Núcleo do CPERS – Palmeira das Missões

https://www.facebook.com/candida.rossetto 




ONLINE
15