Desvelando a realidade

Desvelando a realidade

Desvelando a realidade

Conceição Paludo

 

Que eles queiram confundir, é uma coisa, mas que se acredite, é outra! Muitas vezes, o cérebro toca o coração. Noutras, o coração toca o cérebro. O que se deseja é que os dois andem juntos. Para isso, o exercício é o de compreender, desvelando a realidade.

E as eleições?

Esse extrato de classe, a média, aqui em POA, é gente que sabe ler, mas, muitos e muitos, duvido que saibam discernir. Parece que não querem entender que o capitalismo, o socialismo e o comunismo são propostas de organização da sociedade, que conduzem para sociabilidades diferenciadas.

As duas últimas constituem uma só, dado que o socialismo seria a etapa de transição para o comunismo. Então, do capitalismo social demacrata, cujo horizonte são os direitos humanos, estamos em pleno capitalismo neoliberal. Aquele que tem o mercado irrestrito, lógica da acumulação, como fundamento da sociabilidade humana.

Quanto ao socialismo, classicamente, representa a tomada do poder do Estado, via revolução, e a implementação do governo dos trabalhadores. O comunismo consistiria em uma fase avançada da revolução, que antes era socialista e que, no processo, se transforma, no sentido de constituir uma sociedade na qual a cada um seria dado de acordo com suas necessidades.

Nessa, a lógica da acumulação não mais existiria, consequentemente, nem a exploração e o descarte do trabalho humano; assim como, a exploração exaustiva dos recursos naturais. Nele, a potência de cada um poderia ser desenvolvida e manifesta. Na América Latina e Caribe, tivemos tentativas, mas só uma se efetivou: Cuba (1959). E, caso não tivesse ocorrido o embargo, e todas as tentativas de desconstituição do regime, Cuba poderia estar em um estágio muito mais avançado. No Brasil, pós 1964, tivemos a guerrilha, que foi completamente dizimada.

No século XXI, tivemos o que se chama de onda progressista, como são os casos do Brasil e da Bolívia, por exemplo. Nesses países, a tal onda, muito longe do socialismo e há anos luz do comunismo, representou governos que tentaram governar tendo como horizonte os direitos sociais e humanos, em uma sociedade que continuava capitalista. O único país que tentou e fracassou via revolução, foi a Venezuela. O governo foi ganho, depois, via disputa eleitoral e radicalizou, na direção da soberania e da democracia social. E sabemos o que ocorre por lá. Não querem deixar a Venezuela seguir o seu destino. Essa, talvez, seja a mais potente experiência de construção de uma sociedade na qual o trabalho e os seres humanos sejam mais importantes do que o capital.

Assim como, em nosso continente, outros nomes tem emergido, a partir das múltiplas experiências localizadas, e reflexões, para designar essa sociedade, não mais capitalista: Ecossocialismo e Bem Estar, são dois deles. Muito a conversar e aprofundar sobre tudo isso.

O certo é que senão estamos de acordo com essa forma de organização e de sociabilidade humana, então, temos que saber em que direção queremos ir. Aí, as eleições se aproximam, e dado o estado/situação atual do Brasil e do nosso RS, temos que ter discernimento, na hora do nosso voto.

E, por favor, o horizonte do direito designa, tão somente, a luta, no interior do capitalismo, para termos uma vida minimamente digna para todos. Ainda que muitos não acreditem que sob o capitalismo seja possível, essa sociedade capitalista relativamente humanizada, é a possibilidade que se tem na atualidade.

Uma esquerda que é hegemonicamente social democrata, então, seu horizonte são os direitos humanos e sociais. É o que se nomeia de centro esquerda. Daí que não dá para entender, o tal extrato da classe trabalhadora, a tal classe média, que se diz letrada e, na prática, se deixa conduzir pela mídia, fake, seitas, entre outros, e que não consegue ou não quer enxergar do que efetivamente se trata.

Nessas eleições, todos os que se aliam ao projeto em curso deveriam estar a margem das possibilidades de voto, por qualquer pessoa minimamente humanizada, de fato, e não de fala. E, esse extrato da classe trabalhadora, fala do povo. Melhor se aprendesse com ele. Necessita, disso, urgentemente!

 

copiado do face 




ONLINE
8