Escolas com direções eleitas cresce

Escolas com direções eleitas cresce

Número de escolas com direções eleitas cresce e passa de 80%

 

A gestão democrática da rede estadual de educação saiu fortalecida do processo eleitoral realizado no dia 27 de novembro. Em relação ao último pleito, dados preliminares informados pela Seduc demonstram um crescimento significativo na proporção de escolas que elegeram diretores(as) e vice-diretores(as), em contraste com os estabelecimentos cujas direções serão indicadas pelo governo. Se os números se confirmarem, 83% das escolas serão geridas por representantes legitimados pela comunidade escolar, ante cerca de 50% no atual mandato. Das 2.539 escolas que compõem a rede estadual, 2.291 serão geridas democraticamente.

Os números foram repassados em ofício assinado pelo secretário Ronald Krummenauer e enviado à presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, respondendo a questionamentos encaminhados pela Direção Central na audiência realizada no dia 10 deste mês.

O CPERS acompanhou de perto o processo, produzindo uma cartilha sobre a gestão democrática para orientar a categoria, integrando a comissão eleitoral e prestando assessoria aos(às) educadores(as). “É uma grande notícia em tempos difíceis para a democracia. Fortalecer a participação dentro das escolas e dar voz e vez a professores(as), funcionários(as), pais e alunos(as) é uma luta histórica nossa. A categoria está de parabéns pela mobilização e participação”, avalia Helenir. O direito a eleger direções escolares foi conquistado em 1995 com a Lei de Gestão Democrática, fruto de anos de luta e mobilização.

Os(as) eleitos(as) tomam posse no dia 27 deste mês e o CPERS prepara uma carta para cumprimentar e comprometer as novas direções com a defesa da escola pública laica, gratuita e de qualidade, bem como garantir a participação da comunidade escolar ao longo dos mandatos.

Gozo de férias e anistia da greve de 24h

Outros pontos de destaque do ofício da Seduc trazem informações sobre o gozo de férias, reafirmam a anistia da greve do dia 4 de outubro e o abono de falta de educadores(as) sem condições de pagar por transporte ao local de trabalho, além de esclarecimentos sobre a exigência do CID em atestados médicos – obrigatoriedade contestada pelo CPERS. Sobre as férias, destacamos a orientação para que todos(as) os(as) trabalhadores(as) que tenham saldo de férias referente ao exercício de 2018 devem registrar junto às suas coordenadorias e gozar ainda neste mês de dezembro.

Confira, abaixo, os questionamentos enviados pelo CPERS e, na sequência, as respostas da Seduc.

http://cpers.com.br/numero-de-escolas-com-direcoes-eleitas-cresce-e-passa-de-80/ 




ONLINE
10