Formação para outros mundos possíveis

Formação para outros mundos possíveis

Paulo Freire: formar professores para outros mundos possíveis

Professora da FE e coordenadora do CFP celebra centenário do patrono da educação brasileira

Centenário de Paulo Freire, um dos maiores educadores do mundo, é celebrado em 18/9.
| Foto: Ana Marina Coutinho (Coordcom/UFRJ)


Impossível falar de formação de professores hoje sem nos depararmos com as contribuições de Paulo Freire, ainda que, muitas vezes, elas não sejam devida e diretamente referendadas. Como professores, formadores de professores, pesquisadores da área, entendemos nosso ofício como uma profissão engajada na distribuição democrática do conhecimento, na produção de leituras plurais do social, na defesa da multiplicidade de formas de habitar este mundo. Somos todos herdeiros do pensamento freiriano e, como tal, exercitamos cotidianamente o esperançar. Não é por acaso que, em tempos de intensificação da desigualdade social, recrudescimento do conservadorismo e apagamento da diferença, assumir essa herança passou a ser um ato de resistência.

Questões como, por exemplo, democratização do acesso e permanência, função social da escola pública, gestão democrática, educação de jovens adultos, articulação escola-universidade força criativa da diversidade cultural no processo de ensino-aprendizagem, lugar do afeto na relação com o conhecimento – incontornáveis no debate educacional contemporâneo – foram temáticas estruturantes da pedagogia crítica defendida por Paulo Freire.

A atualidade de seu pensamento tanto traduz a sua potência quanto indica os desafios que ainda precisamos enfrentar na construção de uma escola vivenciada como espaço do exercício de justiça social cognitiva. E, no enfrentamento desses desafios, manter sempre aberta a possibilidade de outros mundos possíveis é também tarefa que cabe a nós, professores. Tarefa que se pratica no presente, como nos ensina Paulo Freire. Afinal, é caminhando que se faz o caminho. Caminhar junto com Paulo Freire é caminhar em ótima companhia.

Viva a universidade e a escola públicas!
            Paulo Freire sempre PRESENTE!

O Complexo de Formação de Professores

O Complexo de Formação de Professores (CFP) é uma política institucional diferenciada de organização da formação inicial e continuada de professores da educação básica. Na UFRJ, essa política visa a consolidar, ampliar e/ou criar mecanismos institucionais para que as unidades acadêmicas responsáveis pelas licenciaturas das diferentes áreas disciplinares, a Faculdade de Educação (FE) e o Colégio de Aplicação (CAp) trabalhem de forma integrada entre si e articulada com as demais instituições parceiras e redes públicas de educação, assumindo conjuntamente o compromisso da formação inicial e continuada de professores.

Saiba mais no site do CFP.

*Carmem Teresa Gabriel é professora da Faculdade de Educação da UFRJ e coordenadora do Complexo de Formação de Professores

 

https://conexao.ufrj.br/2021/09/paulo-freire-formar-professores-para-outros-mundos-possiveis/ 




ONLINE
13