MEC e Inep divulgam Ideb 2017

MEC e Inep divulgam Ideb 2017

MEC e Inep divulgam resultados do Ideb 2017

Brasil superou meta prevista nos anos inicias do Ensino Fundamental; Ensino Médio segue como etapa mais desafiadora

Por: Paula Peres

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) lançaram nesta segunda-feira (3/9) os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O índice é calculado de dois em dois anos, de acordo com os resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e com as taxas de aprovação das escolas e redes de ensino.

Os números do Brasil

Crédito: Lucas Magalhães. Fonte: Inep 2018

 

Ensino Fundamental - Anos iniciais

Segue sendo a etapa melhor desenvolvida nos índices do Ideb. Superamos a meta prevista em 0,3 ponto, e todos os estados evoluíram na proficiência média em relação a 2015. Apenas os estados do Amapá, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul não alcançaram suas metas. Veja, no gráfico abaixo produzido pelo Inep, as metas e os resultados de cada estado:

RESULTADOS E METAS DE CADA UNIDADE FEDERATIVA - ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS REDES PÚBLICAS E PARTICULARES

Crédito: Inep

Oito estados já alcançaram Ideb maior ou igual a 6 (meta prevista nacionalmente somente para 2021): Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Ceará, Paraná, Santa Catarina, Goiás e Distrito Federal.

Enquanto os estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais tiveram os maiores resultados do país nos anos iniciais, o Ceará se destaca por ter superado a meta proposta para 2017 em 1,4 ponto.

Na coletiva de lançamento dos dados promovida em conjunto entre os dois órgãos, o ministro da Educação Rossieli Soares afirmou acreditar que o Brasil cumprirá a meta estabelecida para a etapa dos anos iniciais em 2021, “podendo inclusive antecipar para 2019”, disse.

Por outro lado, Rossieli lembrou que apesar dos bons índices, ainda temos consideráveis desigualdades dentro do país. “Devemos apoiar os estados que enfrentam mais dificuldades para alcançar seus objetivos”.

Ainda não há como saber quais municípios se destacam dentro de cada estado, uma vez que, até a publicação desta matéria, o Inep não havia divulgado os resultados dos municípios. Sabemos, porém, a porcentagem de municípios, em cada estado, que atingiram suas metas em 2017. Veja o gráfico abaixo:

 

Ensino Fundamental - Anos finais

Houve uma melhora no índice nacional: subimos de 4,5 para 4,7, mas ficamos um pouco distantes de nossa meta para 2017, que seria de 5 pontos. Dos 27 estados, 23 aumentaram o Ideb, mas apenas 7 atingiram suas metas: Rondônia, Amazonas, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso e Goiás.

Minas Gerais, que vinha em um crescente (ainda que lento) desde 2005, pela primeira vez teve uma queda de 0,1 ponto e obteve resultado de 4,7 pontos, enquanto sua meta prevista era de 5,2. Veja, a seguir, o gráfico elaborado pelo Inep que mostra as metas e os resultados de cada estado:

RESULTADOS E METAS DE CADA UNIDADE FEDERATIVA - ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS REDES PÚBLICAS E PARTICULARES

Crédito: Inep

Para o ministro da Educação, um dos desafios nos anos finais do Ensino Fundamental diz respeito à formação adequada dos professores na área em que atuam. “Em Língua Portuguesa, 62,5% dos professores nos anos finais têm formação adequada. Em Artes, esse percentual chega a 39%. O restante tem outras formações, como Pedagogia. Sabemos que eles estão fazendo o melhor que podem, mas precisamos apoiá-los na formação continuada”, defendeu.

De acordo com o relatório do Inep, outro desafio da etapa é melhorar o fluxo escolar. Enquanto há estados com histórico de baixa retenção, como Mato Grosso e São Paulo, há outros, como Sergipe, Pará e Bahia com taxas de distorção idade-série (efeito colateral de altos índices de reprovação) que chegam a mais de 40%. "Se o menino não aprende no 5º ano, ele vai chegar no 9º ano com uma série de insuficiências, ou vai ser reprovado em algum momento dessa trajetória", resumiu Rossieli.

Ainda não há como saber quais municípios se destacam dentro de cada unidade federativa, uma vez que, até a publicação desta matéria, o Inep não havia divulgado os resultados dos municípios. Vale lembrar que as redes municipais são responsáveis por boa parte das escolas que lecionam para o Ensino Fundamental 2. Sabemos, porém, a porcentagem de municípios, em cada estado, que atingiram suas metas em 2017. Veja o gráfico abaixo:

 

Ensino Médio

É a etapa mais desafiadora para o Brasil. O avanço é lento: depois de três edições de estagnação, o índice avançou 0,1 ponto em 2017, chegando a 3,8. Mas está bem distante da meta prevista, que seria de 4,7.

No panorama geral, cinco estados tiveram redução no valor do Ideb, o melhor desempenho do país ficou com o estado do Espírito Santo, mas nenhuma unidade federativa atingiu suas metas. Veja, a seguir, o gráfico elaborado pelo Inep com as metas estipuladas e os resultados obtidos pelos estados (com as redes particulares agregadas):

RESULTADOS E METAS DE CADA UNIDADE FEDERATIVA - ENSINO MÉDIO REDES PÚBLICAS E PARTICULARES

Crédito: Inep

Nas redes públicas, duas boas notícias: os estados de Goiás e Pernambuco bateram suas metas. Goiás, inclusive, ficou 0,1 ponto acima do previsto.

Sobre o Ensino Médio, o ministro voltou a defender a reforma e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da etapa, usando os dados estagnados (desde 2005, houve um crescimento de apenas 0,4 ponto no índice) como argumento. “A chance de cumprirmos as metas estabelecidas para o Ensino Médio é nula neste formato e neste ritmo”, disse.

Até 2015, os resultados do Ensino Médio eram calculados a partir de uma amostra de escolas. Pela primeira vez, o Saeb foi censitário para as escolas públicas desta etapa, e opcional para as escolas particulares.

 

https://novaescola.org.br/conteudo/12521/mec-e-inep-divulgam-resultados-do-ideb-2017 




ONLINE
2