Oração de um jovem professor

Oração de um jovem professor

Oração de um jovem professor

 

Bem sabes, Senhor da vida,
que a escola é um espaço democrático,
é a esperança para grande parte da população
que agora sofre tormentos de um poder que não serve,
ao contrário, se serve da fragilidade socioeconômica dos “pequenos”.

 

A partir deste Quinze de outubro, tenho uma oração especial que nasce do coração humano para o centro do Amor Divino.  

Senhor, Deus de amor e misericórdia, sei que me escutas, que choras minhas angústias e vives as felicidades que nascem da luta cotidiana travada em escolas publicas que se fazem espaços de e para a resistência. Confesso, Senhor, que não foi a profissão que almejei deste a tenra idade, bem sabes que não foi, no entanto, foi o seu amor que me chamou para carregar essa cruz, a cruz da educação foi a que escolhi para significar meus dias.

Tive ao longo da formação inicial e tenho na formação continuada ótimos professores e ótimas professoras, pessoas que apostam na formação humana e humanizadora, que alimentam esperanças e semeiam sonhos em meio aos espinhos de uma sociedade que fomenta o individualismo, infla egos e se organiza em torno do capital e pelo capital neoliberal, o mesmo que ceifa vidas e impede o nascer de jardins.  

Mestre dos Mestres, bem sabes que essa cruz escolhida se opõe a cruz imposta pelos sistemas autoritários, que negam a diferença e a pluralidade para fomentar o espírito acrítico e irreflexivo que mata o pensar e anestesia a consciência.  Bem sabes, Senhor da vida, que a escola é um espaço democrático, é a esperança para grande parte da população que agora sofre tormentos de um poder que não serve, ao contrário, se serve da fragilidade socioeconômica dos “pequenos”.

Mestre dos Mestres, neste dia que muitos celebram, comemoram e parabenizam eu te peço forças para resistir, para carregar a cruz da opção contra a cruz da opressão. Neste ano atípico, no qual se abriram ainda mais os abismos sociais e se mostram teimosas as injustiças te peço resiliência e sabedoria. Resiliência para aprender, reaprender e ressignificar práticas pedagógicas, sabedoria para utilizar o método mais adequado, para elaborar a crítica mais contundente, para transmitir com a vida os conteúdos que ensino.

Mestre dos Mestres, que meu saber produza frutos de justiça e gestos de amor, para que a poesia inexplicável da vida não se perca na racionalidade instrumental que fere e que mata os sentidos paridos na luta cotidiana.

Abençoa, Senhor, o nosso fazer, o trabalho de tantos amigos/ amigas e colegas que não se perdem no meio das tempestades, mas ensinam com o exemplo os mais jovens (como eu) a seguir em frente, a semear esperança do verbo esperançar, a questionar as políticas educacionais, cuja única intenção é manter o Status Quo, do poder que oprime.

Obrigado Senhor, pelos testemunhos que libertam, pelas palavras que confortam, pelos professores e professoras que teimam contra todo desalento, contra toda desesperança. Teimar foi seu testemunho, Mestre dos Mestres; teimaste em semear um reino de justiça e de amor onde prevaleciam privilégios e privilegiados; teimaste em apostar naqueles que outros mestres não apostariam; teimaste em desenhar no olhar dos teus discípulos e no coração de suas ações outra experiência religiosa, outra face de Deus.

A seu exemplo, teimamos em apostar naqueles que o sistema político e econômico exclui, para esses a Escola Pública é a esperança maior, é espaço de resistência e de luta, por isso, teimamos em gritar contra os desmandos dos governos que fazem questão de nos calar. Somos teimosos e não calaremos, aprendemos com o Mestre dos Mestres que a causa da vida, e de toda vida é a mais importante! 

Bem sabemos, Mestre, que somos limitados, humanos em constante formação, mas também sabemos que seu amor acompanha aqueles que decidem servir, sabemos que muitas homenagens deste dia são sinceras, mas reivindicamos espaços de fala, de decisão.

Pedimos aos que “nos governam” que o façam com decência, em espírito colaborativo e responsável, visto que não há direito humano sem democracia e que não há nenhum e nem outro sem formação e valorização humana. 

 

https://www.neipies.com/oracao-de-um-jovem-professor/ 




ONLINE
13