Resposta à ampliação de horário

Resposta à ampliação de horário

Resposta à reportagem (clique aqui)

" Secretaria de Saúde do RS recomenda ampliação do horário de atendimento nos postos

Orientação foi feita em conjunto com o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde. Grupo também fará levantamento sobre necessidade do uso de tendas para ampliar estruturas de atendimento."

Mesmo sendo EAD* (risos e lágrimas) fiz uma especialização em Avaliação de Serviços em Saúde. Como minhas graduações ambas com os dois pés na área da saúde (também), ambas pouco foram voltadas para a área da saúde coletiva e pública.

Pois bem após atuar no PMAQ (tipo uma ISO para a saúde), fiz a pós, me debrucei um pouco mais sobre o SUS!

Pois bem: ele é divido em serviços de baixa, média e alta complexidade!

-- Como é na prática:

O postinho de saúde do bairro é (baixa complexidade) lá você vai com uma dor na coluna e ganha remédio pra dor, até daqui um ano conseguir marcar um ortopedista, as vezes até o RX pode sair bem antes, né, mas a especialidade médica demora (esse encaminhamento é o serviço de média complexidade), mas vai, que era bem grave seu problema na coluna, demorou muito o atendimento na média complexidade, e suas indas ao postinho só lhe reservam fármacos para dor. Então você passa mal, quase morre e acaba tendo que ir para a emergência de um hospital, e indo pra UTI, quando veio a falecer!

DA MESMA AUTORIA QUE QUEM FECHA ESCOLA, AUMENTA PRESÍDIO E LEITO DE UTI,

QUEM SUCATEIA O SUS, QUEM DURANTE A PANDEMIA QUERIA PRIVATIZAR OS POSTOS DE SAÚDE, AUMENTA O SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE. O Brasil do modelo hospitalocêntrico, por falta de fortalecimento dos serviços de baixa e média complexidade, acaba GASTANDO DOBRADO EM SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE, como compras de aparelhos extremamente caros.

Quando o governo estadual obrigou as escolas a retomarem em outubro passado, toda escola deveria ter um posto de saúde de referência (pensa no PAVOR DAS UBS E ESF) preparados para serviços que não são da esfera e alcance deles. Assim como nós, escola poucas teríamos um espaço (uma sala) para fazer o isolamento dxs possíveis alunxs e profissionais da educação com sintomas de COVID-19, vocês que vão no postinho, sabem que o espaço deles é super reduzido. E o pânico deles aumentou. Pois o que adiantaria a escola mandar pra lá quem estivesse com suspeita ou mesmo já contaminado (o rastro já havia ficado na escola e agora também no Postinho), e eles então encaminhavam direto pras UPA, e nas tendas montadas. Eu como estava residindo num bairro popular, pude ver de perto a falta de estrutura do postinho e da UPA (tem uma do outro lado da escola que trabalho). Filas nas tendas e sim, as pessoas colocam as máscaras ao serem atendidas, do lado de fora o 'vírus não existe'. Mas deixando o aspecto educativo do uso de máscara, pois nem a escola ou o postinho ou mesmo a UPA teriam pernas pra tanto, tendo em vista que a imagem e semelhança do povo sem máscara estava diariamente na TV desfazendo nosso trabalho.

Eu já disse que passei alguns perengues que somatizei por anos antes do início da pandemia e que se agravaram com o isolamento e o nada 'pseudo'-facismo vigente. Precisava cuidar e preciso cuidar de mim e poder ter a serenidade de fazer um bom trabalho docente este ano.

Não me propuz a política, a gestão pública. Mas é inadmissível que em face da razão, que andava adormecida, o Brasil não muda em nada suas estratégias de contenção da pandemia, e fazendo daquela frase ambientalista "se cada um fizer a sua parte"... Sabemos da ingenuidade contida nela, mas não a desmerecemos. Porém momentos assim, pedem tomada de decisão, ações coletivas entre estados e municípios que cobrem quem deve ser cobrado por direito. Aqui não é os EUA, onde cada estado gerencia como quer, e até nisso andamos tendo que discutir, ações, locais, e até mesmo cogestão local.

De décadas de pesquisa saiu em um ano um vacina, porém e a testagem (isso, teste rápido, apenas no Brasil faltou testagem???),

Se tivesse testagem em massa desde o início e teste nos postinhos de saúde para todos haveria um equilíbrio e não avanço da pandemia.

O Brasil não pode amargar nas mãos de maus gestores nunca mais. Nunca mais.

Ah e quem criou o maior número de UPA e Postinhos, quem criou o PMAQ-AB? Quem?!?

Que você aceite não é meu propósito. Mas que ao menos esteja e seja consciente de quem o fez. Assim como pela educação.

Mas cuidemos da máscara do vizinho, continuemos a copiar o modelo americano e não o Cubano de prevenção. E prevenção não é medicamentos que já foram comprovados cientificamente não fazerem efeito, mas tome quando precisar, ele não fará efeito!

ME DIZ AGORA SECRETÁRIA DA SAÚDE DO ESTADO, VÃO MANDAR INSUMOS E MAIS MÃO DE OBRA PRO POSTINHO ABRIR EM MAIS HORÁRIOS?!? QUE BARBARIDADE!

E sim o pânico não faz bem pra saúde. Cuide de sua saúde mental e leia o que for necessário e confiável. E sim medidas simples de higiene e máscaras salvam vidas.

Gisa Schnack

 

copiado do facebook  https://www.facebook.com/gislaine.fatimaschnack.9 




ONLINE
13